Solji relança “Dreamer” para a primeira parte do [Re:flower] PROJECT, do EXID

E aí que o EXID, como um ~presente para os fãs~, resolveu que, uma vez por mês, até agosto, irá relançar como single alguma album track não trabalhada, mas em novos arranjos, intitulando isso como “[Re:flower] PROJECT”.

O primeiro material retirado disso foi o solo da Solji no “Full Moon”, Dreamer

Continue lendo “Solji relança “Dreamer” para a primeira parte do [Re:flower] PROJECT, do EXID”

Anúncios

Uma personagem foi apalpada no primeiro episódio de “Darling in the FranXX”

E aí que, ontem (13), estreou no Japão um dos animes mais esperados dessa temporada, Darling in the FranXX. Para a galera que não acompanha esses troços otacos, o hype criado em cima da delícia se deu por a mesma ser uma produção dos estúdios A-1 Pictures e Trigger, que já soltaram animações que fizeram bastante sucesso e de qualidade bem alta, como “Kill la Kill”, “Little Witch Academia”, “Kiznaiver”, “Sword Art Online”, “Magi” e segue a lista.

Não cheguei a ler o mangá da história, então não tinha qualquer perspectiva do que viria pela frente em termos de tom, só de conteúdo dado pela sinopse (mechas, lutinhas com monstros gigantes e pá). Então, me foi uma certa surpresa ver que, em meio a dezenas de comentários extremamente positivos passando pela minha timeline, uma boa quantidade de pessoas estava reclamando do tal anime win/win, pois, segundo eles, havia rolado uma cena sexualmente abusiva no episódio inicial.

Meu lado lacrativo, automaticamente, cogitou retuitar o máximo possível daquilo, mas em 2018 estou tentando ser bem mais ponderado e usar a cabeça antes de ir com a manada. Então, resolvi assistir o dito cujo antes de emitir alguma opinião.

E o que rolou foi isso aqui:

Continue lendo “Uma personagem foi apalpada no primeiro episódio de “Darling in the FranXX””

ALBUM REVIEW | EXID – Full Moon (2017)

No final do ano passado eu estava ridiculamente ocupado com, bom, coisas de final de ano + coisas de final de faculdade. Por tanto, alguns trecos bem legais que saíram nos últimos meses de 2017 acabaram não sendo comentados com a devida atenção que mereciam.

Como estou ridiculamente desocupado e com preguiça para buscar alguma outra série/anime pra matar meu tempo após maratonar “The Handmaid’s Tale”, “Big Little Lies” e “Caçadores de Trolls”, resolvi dar um gás nessas resenhas atrasadas. Começando pelo mais recente EP do EXID, o Full Moon

Continue lendo “ALBUM REVIEW | EXID – Full Moon (2017)”

Dreamcatcher e Weki Meki soltam singles comemorativos melhores que comeback do Twice

HUAHUAHUAHUAHA, desculpa, não resisti. Onces, não me matem. Btw, não é como se não fosse verdade, né? :v

Enfim, contextualizando, as meninas do Dreamcatcher e do Weki Meki estão de volta com novos singles que não são bem seus comebacks, mas sim comemorando/representando algo. No caso das primeiras, o primeiro aniversário de pacto debut.

Confiram Full Moon

Continue lendo “Dreamcatcher e Weki Meki soltam singles comemorativos melhores que comeback do Twice”

Twice volta ao Japão com mais pop água com açúcar em “Candy Pop”

Por algum motivo que desentendo, o Twice acabou se tornando um daqueles grupos oito ou oitenta. Os vários lançamentos seguidos delas do ano passado acabaram sendo encarados em opostos diferentes. Tinha quem odiasse, tinha quem gritasse que eram as melhores coisas a saírem no asian pop em todos os tempos.

Ironicamente, sempre achei que tudo delas caminhava naquela zona do regular, entre 5 e 7,5, sem nada verdadeiramente ótimo ou ofensivamente ruim. Huh, tá, “TT” é incrível e “Cheer Up” é detestável, mas o resto do material delas se enquadra nisso aí que expliquei.

Candy Pop, mais recente esforço delas no Japão, tá nessa linha – mas com uma dose extra de açúcar infantilizado…

Continue lendo “Twice volta ao Japão com mais pop água com açúcar em “Candy Pop””