Throwback Playlist | 2005s Asian Pop

E lá vamos nós com mais uma edição da Throwback Playlist, finalmente fechando a primeira metade da década passada.

2005, em especial, foi um daqueles grandes anos de “afirmação” para alguns atos no Pop oriental. Vários dos artistas listados abaixo já vinham com uma carreira estável ao longo do tempo, mas em 2005, finalmente, soltaram alguns de seus maiores jams, que entrariam para o meu panteão de músicas favoritas da vida, além de ainda outros despertarem de vez, lançando suas primeiras faixas dignas de nota.

Então, preparem-se para a que, acredito eu, será a playlist com o repertório mais legal já listado nessa série. Abaixo, 22 músicas excelentes de 2005 + 2 bonus tracks com delícias que acabei deixando de fora da de 2004.

01. BoA – Girls on Top: E aqui está aquela que eu considero a maior faixa da BoA em todos os tempos e nacionalidades. Além de ser a que melhor encapsula o que “BoA” significa em minha cabeça. Um pancadão Urban noventista que bebe da fonte Janet & Michael, maiores inspirações para sua música e dança, pesado, agressivo e grudento. Se bobear, é também o meu K-Pop favorito vindo de uma solista.

02. Koda Kumi – DDD (ft. Soulhead): Dando segmento nisso de melhores faixas de cantoras, essa aqui é a que mais curto da Koda num possível empate técnico com “Taboo”, de 2008. Vamos delimitar assim: “Taboo” é a melhor solo e “DDD” é o melhor feat., que tal? Sério, que troço legal. Toda ela é como um chiclete sonoro, em melodia, arranjo, letra, instrumental e tudo mais. Sem falar que é um dos primeiros momentos onde Kodão começa a piranhar gostoso nos videoclipes. Um clássico, sem sombra de dúvidas.

03. Soulhead – XXX (ft. Koda Kumi): Aah, esqueci de dizer que as minas do feat. acima vieram com uma “continuação” do single dias depois. Tá que isso é do comecinho de janeiro de 2006, mas ouvir uma faixa seguida da outra é super legal, então darei essa burladinha nas regras. Aproveitem.

04. Namie Amuro – Want Me, Want Me: Huh, o tio lá do Asian Mixtape, quando comecei com essas playlists ano passado, disse para eu ter paciência com a Namie Amuro, pois só pra metade da década passada em diante que ela começaria a soltar bops anuais. E, uou, acho que isso começa agora, pois “Want Me, Want Me” é, de longe, o melhor treco dela a já aparecer por aqui. Tá em casa naquelas produções do Pharrell para divas Pop dos anos 2000.

05. Lee Hyori – Anyclub (ft. Teddy): Finalmente, Lee Hyori. Aqui, com a sua primeira faixa solo realmente divertida. “Anyclub”, com o Teddy, é um daqueles amálgamas de Pop com Hip Hop retrô que divertem justamente por colocar melodias cantadas catchy nos batidões. Além disso, tem todo um ar de ~mistério~ na backtrack que me agrada demais. Bem vinda às playlists do blog, Hyori-unnie.

06. AI – 365 (ft. DELI): Ainda outra gostosa a fundir Hip Hop com Pop de modo delicioso e debutar aqui nas playlists, em “365” temos a AI colocando seu vozerão em versos rimados e cantados, numa produção que grita à trilhas de GTAs da vida. Impossível não se deixar levar.

07. BoA – Moto: Follow-up single da BoA no repackage do “Girls On Top”. São aqueles mesmos conceitos que deram certo na title anterior, reformulados maravilhosamente. O refrão disso é bom demais. Pra mim, é a terceira melhor dela na Coreia do Sul, numa disputa acirrada com “Copy and Paste”, de 2010, pelo segundo lugar.

08. Epik High – Fly (ft. Amin. J): Encerrando o segmento urban dessa playlist, os tios do Epik High com ainda outro jam daqueles onde instrumental, versos de rap e refrão cantado por alguma gostosa resultam num pacote perfeito. Saudades desses múltiplos lançamentos. Deviam ter continuado na Woollim em vez de ir pra geladeira da YG, oppars.

09. Morning Musume – Chokkan 2 ~Nogashita Sakana wa Ookiizo!~: Começando a parte eletronic-pop-dance da playlist, fadas de cristal do Morning Musume entregando o que de melhor o grupo consegue: um farofão idol no-sense que caminha do limiar entre a piada e o legal-de-verdade. Boa sorte para vocês tentando tirar os “sunda sunda sunda sunda” da cabeça.

10. Tommy February6 – ❤ Lonely in gorgeous ❤: UM HINO DESSES! Essa música ainda funciona tanto comigo. Na verdade, toda essa estética auditiva oitentista é sempre certeira em minha cabeça. Os sintetizadores retrôs que parecem originados de algum jogo trash de Atari, todo o clima exageradamente dramático e depressivo, mas ao mesmo tempo explosivamente feliz. É uma discrepância estranha de sentimentos que a Tomoko Kawase consegue despertar muito bem.

11. Capsule – Space Station No.9: Admito que não sou tão fã ou tenho tanta paciência para as faixas instrumentais do Capsule, mas essa aqui é tão divertida, tão cheia de detalhes pescáveis e envolventes que eu não consigo ignorar toda vez que ela aparece para mim no YouTube ou em outros lugares. Ouvir isso é como estar dentro de um desenho animado.

12. Tokyo Jihen – The Rat’s Nest: Ainda nessa linha de instrumentais mais elaborados, temos Sheenão Ringo e sua banda de apoio com um Rock-Jazz-Pop gostosíssimo, que torna-se ainda melhor pela voz característica dela. Na real, quase qualquer coisa na voz da Sheena fica maravilhoso. Ouçam.

13. Utada Hikaru – Passion: Huh, preciso ser sincero… Não gosto de “Passion” não. No entanto, eu não poderia ignorá-la aqui, pois ela acaba sendo bem representativa de 2005 e da carreira da Utada como um todo, já que foi usada como tema de “Kingdom Hearts II” e tals. Enfim, escutem aí e tirem suas próprias conclusões.

14. Ayumi Hamasaki – Alterna: Fazendo a transição do Pop pro Rock nessa lista, é hora da Ayu dar as caras. 2005 não foi um ano exatamente aproveitável dela, com algumas porcarias constrangedoras sendo lançadas nele (aaaaaaahuahuahua). Mas “Alterna” meio que salva tudo, naquela soma de Rock com Pop eletrônico que sempre rendeu boas coisas dela.

15. Tommy Heavenly6 – 2Bfree: Mais uma da Tomoko, mas agora em sua persona rockista-avril-lavigniana. O refrão emotivão de “2Bfree” é um dos mais legais da carreira dela. Gosto muito também do fato de o instrumental ir variando de uma forma que vai te enganando em suas diferentes partes. Grande destaque do primeiro LP dela e desse ano num geral.

16. Mika Nakashima – Glamorous Sky: Voltando naquilo de melhores músicas de cantoras, “Glamorous Sky” é, pra mim, a faixa assinatura da Mika Nakashima, além de ser uma das minhas j-musics favoritas na vida. E nem tem muito o que se explicar nisso. Sua construção traz tudo o que mais costuma me conquistar nesses números Pop/Rock japas. Toda a melodia é envolvente, energizante, emocionante. O refrão é um troço lindo e extremamente sing-along. Há uma atmosfera “angelical” em toda ela, mas ao mesmo tempo, soa um pouquinho “suja”. Eu ouvi tanto a delícia na minha adolescência que consigo lembrar aqui de vários momentos onde ela me serviu de trilha sonora. Então, uma nostalgia gigantesca é despertada em minha cabeça toda vez que a escuto hoje em dia. Um hino.

17. Orange Range – Asterisk: Aah, uma confissão: nunca fui muito de assistir “Bleach”. Até dei uma olhada no mangá por um tempo, mas não me pescou não. “Naruto” acabou nutrindo mais as minhas expectativas prum anime shonen pipocão, então nem me preocupei em tentar dar novas chances. Btw, a trilha sonora acabou rendendo várias delícias que ultrapassaram a barreira da mídia animada, chegando no público geral. “Asterisk” é uma das mais legais nisso, com um refrão bem chiclete para um rockish genérico desse tipo de produção. Gosto muito, mas ainda prefiro essa aqui ó…

18. Yui – Life: …com a Yui entregando pra OST uma daquelas (ou seria a primeira da discografia?) faixas dela carregadas na emoção, com melodias arrepiantes, bonitinhas e de bastante pulso. Ótima dobradinha de “Bleach”.

19. High and Mighty Color – Pride: Acho que a maioria de vocês nunca deve ter ouvido falar do High and Mighty Color, mas eles foram um grupo bem legal no nicho de animesongs, cujas faixas conseguiam soar radiofônicas mesmo com instrumentais bem pesados. “Pride” foi utilizada como abertura de “Mobile Suit Gundam SEED Destiny” e o solo de guitarra arrepia a minha espinha até hoje.

20. Koda Kumi – Star: Me empolguei tanto falando de “D.D.D” lá em cima que até esqueci de dizer que, além dele, a Koda soltou mais OITO singles em 2005 – um deles, inclusive, rendeu o primeiro #1 dela. A maioria não prestou não, mas “Star” soa tanto como animesong dos anos 90 que, automaticamente, se torna um dos meus preferidos dela por isso. Pensem nas músicas das tias do Bed In. Agora pensem no vozeirão da Koda por cima. É bem isso.

21. Tommy February6 – Is This Feeling Love?: No respiro final da playlist, é hora dos baladões. E hora também de mais uma música favorita minha de uma diva asiática. É um crime “Is This Feeling Love?” ter servido apenas como b-side de “Lonely in Gorgeous” em vez de double-a-side, pois isso aqui é lindo pra caralho. Que sonho seria se o K-Pop soltasse power ballads assim. Que sonho seria se mais gente emulasse os anos 80 com essa garra. Melhor troço da Tomoko Kawase at all. Devia ter ganhado clipe.

22. The Gazette – Cassis: Fechando os trabalhos oficiais de 2005, “Cassis”, do The Gazette, ainda outra power ballad que arrepia todos os pelos do meu corpinho de início ao fim. Huh, parando pra pensar, acho que, inconscientemente, toda vez que algum artista ou banda no asian pop solta uma balada rockish, acabo tomando isso aqui como referência a ser atingida. São quase sete minutos de duração e cada segundo vale a pena. E pensando mais um pouco, deve ser uma das músicas que mais escutei na minha vida. Quem não gostar, está errado. Abraços.

BÔNUS TRACKS

23. Koda Kumi – Cutey Honey: Eu meio que tinha cagado para essa aqui quando fui compilar as faixas que entrariam para a playlist de 2004, mas fui assistir o toscovilhoso OVA de “Re:Cutie Honey” semana passada e agora não consigo tirar essa porcaria maravilhosa e levemente pornográfica da cabeça. Koda rainha mesmo, bicho.

24. Bonnie Pink – Last Kiss: Essa aqui eu me sinto um idiota por ter esquecido, já que é uma das OSTs que mais escutei na década passada (saudades ir pra escola de ônibus ouvindo esses baladões no meu Sony Ericsson que cabia TRINTA músicas inteiras). Enfim, jurava que “Last Kiss” tinha sido lançada bem mais tarde na linha do tempo e apareceria só mais pra frente nessa série. De qualquer forma, aproveitem aí essa explosão de brilho e cores que só as melhores animesongs conseguem proporcionar.

DOWNLOAD

E de 2005 foi isso aí. Será que esqueci de algo?

Huh, ainda não achei nenhum player que embede corretamente nesse layout do WordPress, então, por enquanto, tem só a opção de download e não a de streaming. Assim que resolver isso, atualizarei o post.

Devo voltar com a playlist de 2006 no início de maio. Pro mês que vem, como eu já tinha avisado, virei com um top listando as melhores faixas de 2011. Essas compilações de lançamentos do passado exigem muito esforço e preparar duas ao mesmo tempo é algo inviável.

De qualquer forma, se vocês curtiram esse formato ou chegaram aqui no blog por causa dele, saibam que já tem playlists de 2000 até 2004, que podem ser conferidas clicando aqui.

 

Anúncios

23 comentários em “Throwback Playlist | 2005s Asian Pop

  1. “23. Koda Kumi – Cutey Honey: Eu meio que tinha cagado para essa aqui quando fui compilar as faixas que entrariam para a playlist de 2004”

    Nem sei o que dizer disso! ainda bem que você se redimiu dessa atitude impensada, Cutey Honey é provavelmente o melhor OST de jvéia quando elas ainda eram jovens @___@

    Aliás faltou um likzão do aúdio mais limpo do que a apresentação de calcinha no baú das OST:

    Vão ouvir o hino e viver certo!

    Curtir

  2. Que lista maravilhosa!
    Da Koda também destacaria os hinos SHAKE IT e Trust you. Sério, até hj escuto essa músicas sem nenhum pesar (apesar daquele break horrível até pra época em SHAKE IT).

    E nossa, é tão raro alguém lembrar da AI que a gente fica emocionado quando alguém enfia algo dela nesses tops. Aliás, MiC-A-Holic A.I. melhor álbum da AI ever. Aliás, falando em AI e 2005: Passion da AI >>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>> abismo >>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>> PASSION da Utada (pessoas de extremo mal gosto discordarão disso).

    E falando de rock, em 2005 Laruku lançou meu álbum preferido deles, um verdadeiro tesouro do J-Rock, AWAKE. Ophelia, Jojoushi e LOST HEAVEN são apenas alguns dos hinos presentes nele

    Curtir

  3. Cara eu li the GazettE?!!!1

    Baladas do the GazettE são hinos, por isso considero BALLAD BEST ALBUM TRACES VOL.2 uma preciosidade, pois só ai temos: Cassis, Reila, Chizuru, D.L.N, Cassis, Calm Envy e Taion ❤

    Curtir

  4. Depois de assistir Paradise Kiss, ouvia Lonely in Gorgeous pelo menos uma vez por dia durante um certo tempo. E na primeira vez que vi o MV, estranhei o fato dele não ter nada a ver com moda, já que Paradise Kiss é um anime que envolve moda. Também estranhei as partes kawaii intercaladas com cenas de perseguição policial, que logo depois descobri que era uma paródia de Sabotage, dos Beastie Boys, cujo clipe por si só já é paródia de filmes e seriados policiais from America:

    Tommyzão arrasando nas referências ❤

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s