TOP 50 | As melhores faixas do Asian Pop em 2011 (25ª até 11ª)

Terceiro dia, terceira e penúltima parte do top 2011. Dessa vez, trazendo aquele clichê de rankings de blogs musicais com faixas representativas do ano como um todo, poderosas, incríveis, verdadeiras pérolas que bem mereciam figurar entre as 10 mais, mas que, por pura subjetividade deste que escreve, acabaram morrendo na praia antes do time final.

Quais serão as injustiças cometidas dessa vez? Quem ficará de fora, em décimo segundo lugar, e chocará toda uma comunidade capopeira por não estar no pódio? Quantos j-rocks eu ainda enfiarei goela abaixo de vocês? Essas e outras respostas virão a seguir…

YAAAAASSS! Há algo em “Brand New Civilization” que, toda vez que a escuto, me desperta uma vontade imensa de sair pulando e fazendo aquelas dancinhas toscas que tiozinhos roqueiros que não sabem dançar de verdade fazem. Sério, bicho, sério!!!1 Isso aqui é bom demais, com o Tokyo Jihen emitindo uma energia absurda a cada nota tocada enquanto a Sheena Ringo canta como se estivesse debochando da minha cara, da sua cara, da cara de todos no clipe, no Japão, na Ásia, na porra do mundo todo!!11 EU TE AMO, SHEENA RINGO!!!!!$! Sem sombra de dúvidas, um dos meus destaques favoritos do grupo.

– x –

Isso aqui é uma palhaçada tosca, ridícula e imbecil do início ao fim. Os sintetizadores datados idiotas, a letra retardada, a coreografia rebolando a bundinha, o engrish absurdo (não quero ser uma piscina? WTF!?), “So Cool” é uma das maiores bobagens da história da música Pop mundial. E, obviamente, eu adoro ela todinha, do início ao fim. Poucas coisas conseguem encapsular tão bem o que é o K-Pop em sonoridade e estética visual quanto isso aqui. Não chega a ser a melhor do Sistar (gosto bem mais de “I Swear”, “I Like That” e outras), mas ainda assim é um dos trecos mais icônicos desse cenário nessa década – para o bem e para o mal.

– x –

Eu amo como a Yui consegue imprimir uma interpretação vocal fofa em suas músicas sem em momento algum se deixar passar do ponto e descambar para algo caricato. “Hello” emana um brilho reconfortante, como se verso a verso fossemos envolvidos por raios de sol matutinos enquanto pétalas de cerejeiras voam ao vento. Kana Nishino e outras variantes sacrificariam filhotes de tanukis metamorfos por algo assim em seus catálogos. Deve ter sido um dos trecos que mais escutei indo de ônibus para a escola em meus áureos tempos de jovem despreocupado. Que nostalgia.

– x –

Mais uma do excelente LP das Wonder Girls, “Stop!” é outra dessas a emular algo de antigamente usando sintetizadores eletrônicos. No caso, totalmente sinto nela um clima daqueles glam metals oitentistas, ao mesmo tempo que ela também consegue funcionar como um dance atual. Eu amo como a dramaticidade vai crescendo, com os elementos sonoros contribuindo para isso, tornando-se cada vez mais intensos, aí surge um solão de guitarra e elas começam a gritar gostoso. Sério, é apaixonante, puta que pariu!

– x –

Essa aqui também é tão legal. Na moral, essa penúltima parte está cheia de hinos que estão há anos em minhas playlists sem mostrar qualquer sinal de cansaço até então. “Laser Beam” parece uma mensagem de alguma raça alienígena futurista que viaja tempo/espaço e quer nos ensinar algo sobre buscarmos conhecimento para atingirmos uma utopia em paz universal ou qualquer porra dessas. Não tem como escutar só uma vez. Como sinto falta desse Perfume.

– x –

E chegamos a mais um top 20. Hora de revelar o segundo maior tema de anime dessa lista, que por acaso é o melhor presente em “Ao No Exorcist”. “Core Pride” é o que podemos considerar como animesong perfeita. O instrumental é impactante e recheado de momentos de puro orgasmo musical (o saxofone enlouquecido maravilhosooo), a letra é lindíssima, o mano do vocal canta de jeito mais emotivo possível. “Core Pride” desperta aquele sentimento de superação que as melhores músicas de OST devem despertar. Foi quase a melhor de 2011 nisso, mas foi superada por uma outra aí que só aparecerá no top 10. Aguardem, narutards…

– x –

“Step” é ainda outra daquelas canções que, imediatamente ao início, me despertam uma vontade louca de sair rebolando pela casa. É quase como se tentassem em laboratório converter euforia em música e alcançassem sucesso ao final. “Step” é radiante, explosiva, arrepiante, é como se não houvessem problemas e a vida fosse uma grande festa em cores berrantes trajando figurinos absurdos. Uma das melhores do KARA, uma das melhores de 2011.

– x –

A maioria de vocês que acompanha os blogzinhos de asian pop aqui do Brasil deve se intrigar com o porquê de vários de nós, j-lovers velhotes, darmos um passe livre tão alto para pautas com a Koda Kumi lançando bobagens no automático, enquanto isso não ocorre com vários outros atos diferentes e até mais relevantes hoje em dia (boygroups coreanos num geral, rs). Então, apenas cliquem no vídeo abaixo com Kodão no máximo de sua piranhagem colocando suas fãs para chorar horrorizadas no palco durante a performance da gráfica e sacana “Ko-So-Ko-So”. Acho que será uma justificativa suficiente para esse amor desmedido. Btw, fácil fácil uma das melhores da carreira dela.

– x –

“Heart to Heart” deve ter causado inveja em muitas das meninas que tentaram uma carreira musical pós-Disney Channel, visto ser exatamente aquele Dance/Pop que se espera de atos desse tipo, transitando num limbo estético entre o teen e o não-tão-sensual. A atmosfera nela é contagiante, no que já citei várias vezes de começar como uma balada, mas ir ganhando mais elementos e tempo até estar em casa nas pistas, caminhando mais e mais para um ápice emocionante ao final – mas não sem antes nos presenciar com um refrão sing-along impossível de ser esquecido. E o videoclipe das cinco se vingando do namorado da HyunA (que eu jurava ser uma menina lésbica) é só a cereja do bolo.

– x –

“GNO” é um puta pancadão dance retirado de alguma coletânea de verão da rádio Jovem Pan nos anos 2000. É impressionante o modo como a HA:TFELT e os demais produtores conseguiram montar aqui uma farofa recheada de momentos altos, com diferentes ápices, grudenta, divertida, envolvente, que funciona com excelência em toda a sua duração. Nem sei qual parte dela mais me agrada. Talvez o pré-refrão crescente que dá vontade de rebolar fazendo uma cara emotiva, ou o refrão propriamente dito, feito para pular e se jogar com vontade, ou as dinâmicas de rap entre Yubin gostosa e Lim feia. Que hino, bicho! “G.N.O” clamava para ser single, não é a toa que as plateias berravam a letra toda da música nas apresentações ao vivo. Melhor coisa delas em 2011 e provável top 5 do grupo comigo.

– x –

Eu ia começar esse parágrafo debochando do fato de, à época, a audiência ter caído de hate em cima disso aqui, sendo que nem rola nada de “censurável” em “Dr Feel Good” em comparação com outros números parecidos, questionando ser uma ocasião produto do momento e felicitar por já termos evoluído disso… Mas aí lembrei que outro dia vieram falar que “aegyo é uma resposta feminista no K-Pop, com as meninas não precisando rebolar de roupa curta para agradar macho”, então desisti. É, o público não evoluiu quase nada nessa década. Enfim, que bop esse do Rania, né? Nem acredito que não coloquei no top 10.

– x –

Isso aqui, essa bosta aqui, é o exemplo máximo do que foi a onda hallyu conceitualmente no Japão. Em “Mr. Taxi”, o Girls’ Generation se joga no idol pop nipônico, com figurinos fetichistas de taxistas gostosas enquanto cantam um pancadão bubblegum pop desprovido de qualquer intenção em soar sério. Não é exatamente como girlgroups japas, mas um meio termo entre o refinamento coreano e o no-sense da terra do Goku. Uhh, que refrão bom, não? Gruda na cabeça, dá vontade de ouvir mais até cair babando em retardo no chão. Pra mim, é a faixa assinatura delas como Shoujo Jidai.

– x –

NOSTALGIAAAAAAAAAAAARRRRRGHHH! Ouvir “Bubble Pop!” hoje me transporta diretamente para o momento em 2011 em que o Leitura Dinâmica (lembram?), na Rede TV!, vanguardista em trazer informações sobre K-Pop na TV aberta (dá vontade, né, Raul Gil?), resolveu colocar a HyunA rebolando na tela enquanto subiam os créditos daquela edição, apenas porque sim!!! Não sei se foi exatamente aí que fui totalmente destruído pela existência da HyunA, mas tal ocasião com certeza contribuiu para que a ridícula se tornasse minha ultimate supreme nessa vala capopeira que todos amamos nos afundar. Óbvio que a música se tornou um hino em minha vida. De novo, não sei como consegui deixar essa também de fora do top 10.

– x –

Puta que pariu, tá foda cortar essas últimas aqui da parte final! Mas pensem que, vá lá, de “GNO” em diante, todas eram merecedoras de aparecer entre as 10 mais. Só morreram na praia por… Huh, sei lá. Não consigo encontrar justificativas. Enfim… “Roly Poly” é ainda outra delícia do T-ara a encapsular o que o K-Pop é. Numa comparação besta dentro do repertório delas, curto mais “Sexy Love” e “Like The First Time”, mas não existe defeito nenhum nessa porra aqui. Instrumental foda, refrão foda, coreografia foda, MV foda. VAMOS LÁ, TODO MUNDO: LOLY POOOLYYY, LOLY LOLY POOOOLYYY, SEI QUE NUM SEI QUE LÁ, NANANANA HA HA TCHU COH YA… *fazendo a dancinha*

– x –

A introdução de “Hate You”, até hoje, me causa arrepios. Também parece ter sido enviada de uma civilização alienígena, mas não uma pacífica como a da “Laser Beam” lá em cima, sim uma que a usa como incentivo de guerra contra outras raças. Eu fecho os olhos enquanto a escuto e imagino um ambiente futurista, com carros voando, pessoas pilotando mechas, guarda-chuvas com cabos de neon, hologramas gigantescos de prostitutas tentando me vender 10 minutos de prazer em realidade virtual e outras porras do tipo. Pra mim, a terceira melhor do mini e um dos maiores destaques do 2NE1 como um todo.

– x –

[50-38] [37-26]

[10-11]

Uou, quase no fim. Agora, só faltam as 10 mais. Serão 3 jotapopes e 7 capopes. 1 solista, 1 boygroup, 1 banda, 1 animesong e 6 girlgroups. Só 2 das faixas não foram mencionadas nos esquentas que soltei mês passado, todas as outras apareceram de alguma forma.

Alguém arrisca chutar?

Resultado de imagem para roly poly gif

Até amanhã. Pfvr, não me xinguem…

Anúncios

10 comentários em “TOP 50 | As melhores faixas do Asian Pop em 2011 (25ª até 11ª)

  1. Vai ter mais 2 do 2ne1 mesmo kkk

    Roly Poly, Step e Bubble Pop pra mim eram top 10, LOL

    E GNO ainda vendeu 1kk, se tivesse sido single poderia concorrer com Roly Poly nas músicas mais vendidas do kpop…

    Mas continuando a lista das que falta:

    The Boys
    Cry Cry
    Hands Up
    Good bye Baby
    Be Mine
    I Am The Best
    Ugly

    1 solista?

    Se a Kyary já estiver incluida nos “jotapopes”, resta ainda Good Day, Going Crazy da Jieun, e Black & White da G.N.A…

    Tu esqueceu de Hands Up?

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s