AOA finalmente retorna com “Bingle Bangle”, infelizmente é sua pior música em meia década

AOA teve uma trajetória como girlgroup tão interessante de ser acompanhada que, em retrospecto, me deixa com uma sobrancelha de dúvida levantada a respeito das motivações que levaram às decisões estranhas tomadas pela FNC sobre sua gerência musical depois de janeiro do ano passado.

Vindas de uma gravadora especializada em bandas (com instrumentos e tals), elas debutaram nesse estilo em 2012, fracassando comercialmente. Só alcançaram o sucesso mesmo em 2014, após uma mudança de imagem, conceito e sonoridade. Não vou me aprofundar muito nisso, pois quero preparar um post específico sobre a trilogia de singles delas em tal ano, mas é válido só dizer que elas hitaram, se tornaram um dos maiores nomes femininos coreanos dos últimos anos, colecionando sucesso atrás de sucesso.

Isso tudo, sempre numa embalagem sensual, autodeclarada boa, quente, fresca e alucinante – e canções que imprimiam sonoramente essa vibe. Então, é TÃO BIZARRO vê-las lançando algo como Bingle Bangle, pois não só vai contra tudo o que conceitualmente é o AOA, mas escorrega feio em qualidade sonora…

Eu sei que alguns pensamentos meio lugar-comuns virão na cabeça de vocês, tais como “Ain, Lunei, o AOA tá é certo em ir pro aegyo, elas estavam fracassando comercialmente como vagabas antes de sumir” ou “Não tem problema elas irem por esse caminho mais fofo, Lunei, o aegyo é uma resposta feminista ao patriarcado, hein, elas precisam ir no safe para ganhar novos seguidores“, mas preciso dizer que discordo desses dois pontos. Explicarei.

O AOA não flopou de verdade. É claro que o auge do grupo foi mesmo em 2014/2015, com os singles assinados pelo Brave Brothers (“Miniskirt”, “Short Hair”, “Like a Cat” e “Heart Attack”) batendo mais de um milhão de cópias em vendas cada um. No entanto, nada do time completo fracassou. Mesmo com o ~escândalo~ lá delas não saberem o nome de figuras históricas em 2016, “Good Luck” vendeu quase 700 mil cópias. O comeback seguinte, “Excuse Me”, que muitos, por sei lá qual motivo, acreditam ser flop, na verdade, acumulou em torno de 570 mil cópias, com “Bing Bing”, tratada como b-side, saindo com 90 mil (“Automatic”, do Red Velvet, por exemplo, trabalhada da mesma forma, vendeu 80 mil).

Todos esses números são bem competentes para um grupo com o status e tamanho de produção por trás do AOA, que não vem de uma big3 (o que significa não nascer já com sucesso garantido). Uma mudança drástica para “alcançarem o sucesso”, em minha cabeça, não faz sentido algum. Sendo honesto, nem mesmo a paralisação delas após as promoções do “Angel’s Knock” não fez sentido. Se foi pela ChoA, com problemas de saúde, me parece tão amador não continuar sem ela (isso é K-Pop, vide EXID e Solji, Oh My Girl, April, Wonder Girls etc., não me venham com sentimentalismos) e simplesmente sumir do meio musical por mais de um ano.

Agora, sobre não existir problema nelas apostarem em algo mais fofinho e trend para tentar angariar uma nova parcela do público que talvez compense a perdida durante o hiato, eu totalmente entendo a estratégia, é aceitável e blá blá blá. Porém, não consigo gostar do que, pouco a pouco, a cena coreana de grupos femininos está se tornando. Nem tem a ver com curtir ou não algo mais infantilizado, sim com tudo se parecer demais, tudo ser muito igual. A graça do K-Pop é a variedade. Quando tudo soa como o mesmo, nada se destaca de verdade (pensem, sei lá, em sertanejo universitário, ou em latin pop cantado em espanhol, ou nos sei á quantos clipes que saem no canal do Kondzilla, ou nos releases de grupos 48/46 no Japão).

Para piorar, “Bingle Bangle” nem vai a fundo de verdade nos signos sonoros esperáveis de apostas do tipo. É só um popzinho de verão vibrante, pouco ousado, pouco grudento, usável como filler. Que merda.

Nem sei o que é pior: elas floparem e acabarem disbandando ou hitarem com essa porcaria e acabarem tomando essa direção daqui pra frente. E já nem sei se me importo mais. Que decepção.

Anúncios

20 comentários em “AOA finalmente retorna com “Bingle Bangle”, infelizmente é sua pior música em meia década

  1. Bom … pelo menos o MV ficou legal , o pior disso tudo é que a FNC poderia muito bem ter escolhido Ladi Dadi ou Ddu Ddu Ddu como title tracks sem problema algum , são músicas muito mais interessantes que esse troço inexpressivo…

    Curtir

  2. Não criei expectativas nem para as garotas bonitas AOA e nem pra sub-unit de Pristin, ainda bem, porque não gostei de nenhuma. Uma nem parece comeback, a outra já deu.

    Curtir

  3. Elas estavam indo tão bem depois de entregarem duas titles icônicas (Bing Bing e EM)… Uma pena.
    Eu até que gostei dessa nova, mas não é AOA. Quando terminou a música é nada de hey a fixa caiu. Parece uma bside perdida…
    Pontos positivos: o MV tá lindíssimo e o mini bem bom, com várias opcoes melhores para serem titles.
    PS: a música já conseguiu vários #1, acho que n vem disband não.

    Curtir

  4. desde que vi o teaser já sabia como iria funcionar, eu gostei da música é claro que não é a cara do AOA, mas pelo menos elas não apostaram em algo lento esquecível. A música grudou na minha cabeça e não irrita. Força para todo mundo

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s