PLAYLIST | Asian Pop 2018: Update de julho

Volteeeei! :v

Sei que tem muita pauta aí pra cobrir, trecos do Loona, do Red Velvet. Porém, antes de tudo, preciso fechar o ciclo do mês passado com as atualizações da playlist aqui do blog. E nem prenderei vocês em introduções demoradas, pois há muito o que comentar.

Abaixo, confiram o player no Spotify e meus pitacos sobre as VINTE E CINCO novas “aquisições”:

01) TRIPLE H – RETRO FUTURE: A melhor coisa sobre esse retorno do Triple H não foi a descoberta do namoro da HyunA com o G-Dragon cover, não foi ela tocando o foda-se e admitindo que estava pegando mesmo enquanto a Cube quis abafar, nem as reações hilárias dos fãs que, daqui uns anos, terão vergonha disso, ou mesmo vir a público que os idols da gravadora adoram uma esbórnia entre si e etc. Sim A MÚSICA excelente que é “Retro Future”, com um MV tão maravilhoso quanto. Janet Jackson está orgulhosa. Provável top 10 desse ano, hein.

02) LEO, LE – COVER GIRL: Ainda nessa linha de faixas boys and girls at 90s, esse rapaz do VIXX chamou a LE para uma colaboração deliciosa e intensa que bebe da fonte Jackson tal como a anterior. Podia ter rolado um clipe.

03) KYUNGRI – BLUE MOON: Me dói até hoje constatar que o 9MUSES nunca aconteceu de verdade. E dói mais ainda ter em mente que, mesmo com um debut tão legal quanto esse, a Kyungri também deve passar despercebida pela atenção do público coreano ordinário. Uma Pena. “Blue Moon” é bem o tipo de coisa que estaria em casa no (excelente) mais recente álbum da Uhm Jung Hwa.

04) SF9 – NOW OR NEVER: Por incrível que pareça, esses rapazes da FNC têm acertado bastante em suas escolhas para repertório. Já deve ser o terceiro ou quarto single legal deles do ano passado pra cá. Tudo bem que é super derivativo de outras tentativas de boygroups com House, mas funciona mesmo assim.

05) ELRIS – FOCUS: Pobre da SoHee, deve estar odiando pagar de pirralha aegyo adocicada nos singles do Elris. Aposto que lançarem esse vídeo baixa renda para a ótima “Focus”, escondida lá no final do mini mais recente delas, deve ter sido uma medida desesperada partida dela para adequar o grupo ao que deveria ser sua carreira solo. #fanfic (btw, que bop, não?)

06) HYOLYN – SEE SEA: Nossa, a Hyolyn tá mandando tão bem como solista pós-morte do Sistar. “Blue Moon” e “Fruity” ano passado, o pancadão-quebra-cu de “Dally” meses atrás, essa “See Sea” vibrante pra caralho agora. Nem sei qual a minha favorita. E puta que pariu a bridge com a guitarra tomando conta. Melhor faixa de verão, sem dúvidas.

07) OOHYO – PAPERCUT: Diretamente dos guetos indies coreanos, Oohyo finalmente voltou com ainda outro bop eletrônico viajado. Fiquei meio decepcionado com ela só soltando trecos para universitários de humanas depois do single lá da pizza, quase desisti de acompanhar. Mas essa bobagenzinha dance aqui totalmente restaurou minha fé em sua capacidade de entreter mantendo ainda aquela veia alternê característica.

08) RED VELVET – AITAI-TAI: Por incrível que pareça, passado o tempo, acabei curtindo o debut japa do Red Velvet num geral. As adaptações de singles anteriores para a língua local ficaram legais de ouvir, além dessa album track aqui, boa demais. Mistura disco com sintetizadores futuristas/gamers, com um resultado que, facilmente, poderia ter elevado-a ao posto de a-side.

09) APINK – I’M SO SICK: Provavelmente, o troço mais surpreendente desse ano. O Apink sempre foi um grupo preso ao aegyo, não evoluindo com o tempo, renovando imagem ou som, de repertório demasiadamente parecido para que despertasse qualquer vontade de ouvir. Mudar a chave para essa imagem mais madura e elegante, voltando com um amálgama de disco com tropical house em vez do popzinho light de sempre lhes rendeu sua melhor canção em todos os tempos. Parabéns aos envolvidos.

10) ASHLEY – HERE WE ARE: Ironicamente, mesmo tendo comentado essa aqui no rodapé do post de comeback da Chung Ha, acabei escutando-a bem mais que “Love U”, que nem nessa lista aparecerá. Risos. Os sintetizadores do refrão são uma delícia aos ouvidos.

11) JESSI – DOWN: Se a Hyolyn conquistou o posto de rainha do verão coreano em meu coração com “See Sea”, a Jessi chegou quase lá, podendo arrancar a peruca da colega a qualquer momento. “Down” é tão boa, o refrão é chiclete puro. Finalmente, uma faixa que faz jus aos talentos dela. A todos eles. :v

12) THELMA AOYAMA – MADA BAKA: Acabei não falando do álbum novo da Thelma Aoyama aqui, mas ele está realmente bom. A ideia por trás dele é homenagear (pfff) as sonoridades que ela ouvia em sua época de escola, o que rendeu faixas bem variadas em propostas. “Mada Baka” é como se ela emulasse M.I.A., adicionando elementos “árabes” ao Pop rimado de maneira mais escrachada. Por incrível que pareça, funciona.

13) TRIPLE H – FEELING: Aaaarrhg, essa aqui também é tão ótima. HyunA, namorado virgem e vela entregando Hip Hop agressivo com um instrumental cuspe na cara. Ficaria tão legal num clipe. Porra, Cube…

14) THELMA AOYAMA, KATO MILIYAH – POPPIN’: Nessa aqui, Thelminha invoca a miga Kato Miliyah para imitar a Cardi B imitando TLC. Impagável.

15) SEUNGRI, MINO – WHERE ARE U FROM: Não sou muito chegado no BIGBANG, então não tenho muita ideia da relevância do Seungri dentro do grupo. Seria o equivalente masculino da Dara no line up? Bom, tanto faz. Das faixas do LP dele, curti bastante essa farofa-Psy-101 e uma outra aí. Fica de molde para os outros lá não se levarem tão a sério em seus futuros solos.

16) SATURDAY – MMOOK JJI BBA: Não tenho a mais remota ideia do que é um Saturday, mas vi lá no blog do Dougie e curti o pancadão Crayon Popnesco. Uma pena para elas o Momoland já ter feito troços parecidos há pouco tempo e alcançado uma maior relevância, caso contrário, o debut poderia ter chamado um tiquinho mais de atenção.

17) SIX BOMB – HICCUP HICCUP:gimmick do Six Bomb de apostar em polêmicas desesperadas para chamar atenção é divertido dentro da cena nugu, mas a real é que nenhuma das músicas dela tinha prestado de verdade, vai. “Hiccup Hiccup”, no entanto, consegue funcionar legal como uma homenagem/regravação/sample/plágio sei lá o que de “Pound The Alarm”, da Nicki Minaj, que por si só já é bem divertida. Então, ponto pras barangas por finalmente aliar um conceito toscão bem executado com uma faixa legal.

18) SEUNGRI, B.I – MOLLADO: E a outra legal do LP do Seungri, no caso, é essa aqui. “Mollado” é um tiquinho elegante demais para ser considerada farofa? Adoro que ela nem chega a estourar de verdade.

19) THELMA AOYAMA – ~WE ARE THE WORLD~: Enquanto as homenagens da Thelma em seu álbum citadas antes iam mais prum lado urban internacional, “~We Are The World~” é totalmente japa, pegando aquele período ali entre o final dos anos 90 e o início dos 2000 onde esses dance para paras eram a merda mais quente entre os jovens. Tudo muito ridículo e exagerado, mas um ridículo e exagerado que faz a volta na caricatura e se torna cult.

20) HOLLAND – I’M SO AFRAID: Não entendi vários de vocês fingindo que curtiram o debut sonolento do Holland, mas felizmente vocês já podem parar de se torturar. Nesse primeiro comeback, ele veio com dois singles evocando seu Troye Sivan/Years & Years/Tumblrboy interior, sendo “I’m So Afraid” o melhor deles. Não chega a ser uma New, mas vale a ouvida sem riscos de desmaiar em tédio.

21) THELMA AOYAMA – TALK S2 ME: Acho que esses números PBR&Bs nem rolavam enquanto a Aoyama estava no colégio, mas quem liga para coerência à proposta quando temos uma boa faixa de Tinashe como essa “Talk s2 Me” se mostra ser?

22) TRIPLE H – SHOW ME: Sim, eu coloquei o mini todo do Triple H nessa playlist. A culpa não é minha se tava tudo muito bom e viciante. “Show Me” também pega carona no que a Janet e o Michael fizeram, com melodias grudentas e vários momentos que dão vontade de sair dançando pela casa. Lidem com isso.

23) MINSEO – ZERO: Essa menina recria tão bem o que a IU fazia no início da década. Nem me incomodo com a falta de originalidade (K-Pop, ué), os acertos estão bem maiores. “Zero” consegue montar direitinho aquela aura “épica” de canções como “Good Day” e “You and I”, com o plus de as tecnologias de masterização coreanas terem evoluído bastante com o passar do tempo, excluindo aquele efeito datado que me incomoda um pouco no material antigo da IU. Só alegria.

24) RED VELVET – #COOKIE JAR: Eu sei que não dei muita bola pra isso aqui quando saiu o clipe, mas tal como 90% dos bagulhos do Red Velvet (falarei mais disso no post de “Power Up”), acabei curtindo “#Cookie Jar” em certo momento. Uma boa resposta mais orgânica aos sei lá quantos lançamentos eletrônicos atuais da cena Pop nipônica. E quem não gostaria de colocar a mão no pote de biscoitos da Joy, bicho?

BONUS TRACK) TIFFANY YOUNG – OVER MY SKIN: Encerrando com uma faixa bônus, já que isso foi voltado primordialmente ao mercado norte-americano e não chega a ser K-Pop. Mas é a Tiffany com o que seria uma boa música da Meghan Trainor, então por que ignorar? Gosto de quase tudo em “Over My Skin”, do refrão safado, do instrumental 007, a única reclamação é que, huh, a voz dela não soa meio estranha? Parece que não casa corretamente com o que está tocando, sei lá. Não chega a beirar ao amadorismo, mas dá uma pulguinha ali atrás do orelha. Tirando isso, mandou bem.

E de julho foi isso. Muito K-Pop e quase nada de J-Pop, meio atípico para esse ano, que anda bem equilibrado em quantidade de troços ótimos vindo de ambos os lados. Imagino que a situação já volte ao normal agora em agosto, com coisas novas de vários nomes relevantes (Perfume, Koda Kumi, FEMM, Ayu…).

E sim, ignorei KARD, Twice, Chunga Ha, GFriend, Lovelyz, Mamamoo e outros. Não levem pro pessoal, fãs. Nada desses citados foi realmente ruim, mas não chegaram a me dar vontade de repetir quando ouvi. Coisas da vida.

Enfim, compartilhem aí suas favoritas. Ao longo da semana que vem, vou colocando as pautas em dia de acordo com o nível de relevância. \o

ALGUNS AVISOS

Tá, sei que esse post já está enorme, mas aproveitando o retorno, preciso atualizar vocês sobre algumas coisas. A primeira é que o Facebook, por sabe-se lá qual motivo, resolveu tirar do ar o fake que eu usava para atualizar a página aqui do blog por lá. Então, enquanto eu não fizer um outro (na real, nem quero fazer outro), não rolarão postagens por lá, visto eu não ter vontade alguma de reativar minha conta pessoal naquele troço chato. Para ficarem sabendo quando as postagens forem ao ar, sugiro que vocês sigam o blog aqui no WordPress através do botão que está ali na lateral do site, ou que sigam o meu perfil ou o perfil do Esquadrão no Twitter. É a única rede social que eu uso, sempre jogo os links lá.

O outro aviso é que, a partir de hoje, a minha tolerância para comentários cretinos em postagens caiu para 0. Minha paciência com fãs malucos de grupos a) me xingando agressivamente por dizer que não curti o que as bias lançaram; b) fazendo problematização de oitava série em cima do que acham que eu digo, sem a mínima capacidade de interpretação de texto, se tornou inexistente. Então, tais maluquices serão imediatamente deletadas, com os IPs devidamente bloqueados (já que a versão free do WordPress não permite que eu decida aceitar ou não os comentários individualmente). Aceito que discordem de mim (inclusive, adoro quando vêm argumentos realmente legais), aceito que tirem sarro com a minha cara, mas ofensas e palanque para aparecer como lacrador de araque não. O Esquadrão Lunático não é uma página profissional, tudo é feito unicamente pela diversão e quaisquer empecilhos nisso devem passar longe.

Obviamente, esses casos são exceções. Felizmente, a maioria de vocês que seguem isso aqui são ótimos e entendem o clima que impera no blog, onde ninguém deve se levar a sério demais. ❤

Anúncios

12 comentários em “PLAYLIST | Asian Pop 2018: Update de julho

  1. Senti falta de Kaji Hitomi, Seiko Oomori e de alguns dos citados que não fazem parte da playlist final… Mas os oppas também se saíram bem no mês passado, com o mano do VIXX lançando aquela faixa que emula Taemin e Kyungri tranquilamente:

    E também os carinhas do IN2IT, que fizeram vogue em Snapshot ainda no primeiro semestre desse ano:

    Quanto à Thelma, acho que só consegui curtir as faixas 1 e 7 do álbum, mesmo.

    E ontem, uma girlgroup nugu (que acredito que seja do programa The Unit) lançou o debut:

    Curtido por 1 pessoa

  2. Eu fico rachando de rir com essas ~~fãs~~ malucas por o oppa tá namorando ashuashuahush. Esmurra mesmo esse pessoal chato que tem os únicos argumentos como : ”Faz melhor” ou o icônico “Vosseê tÁ eh Com Inveja”. Muito obrigada pela resenha, eu tava sem tempo pra ver os lançamentos, agora que fui ver o lançamento MARAVILHOSO da Hyolin!

    Curtido por 1 pessoa

  3. Nao foi so eu que também esqueci a música nova da Chung ha e a do kard rsrs. Não é pelo fato das faixas serem ruins. E sim por causa do fato senti parecer muito com lançamentos anteriores só que mais aguado

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s