PLAYLIST | Asian Pop 2018: Update de outubro

Último dia do mês, hora de mais uma atualização da playlist aqui do blog. Outubro, por sabe-se lá qual motivo, foi absurdamente fraco para lançamentos da Coreia do Sul. Rolou algum feriado lunar ou coisa do tipo e não fiquei sabendo? E levando em conta a também quantidade reduzida de acts soltando música boa no Japão, foram poucas as opções de novidades dessa vez. Tanto que precisei adicionar releases de outros meses e collabs internacionais para fechar um número redondinho dessa vez.

De qualquer forma, o que rolou de bom foi realmente bom. Então, abaixo, confiram as selecionadas via player do Spotify e, claro, meus comentários a respeito das escolhidas…

INTRO) REOL – ~MANDARA FACT~: Reol enfiando uma porção de signos sonoros ~árabes~ numa interlude que merecia ter sido promovida a canção propriamente dita. Me sinto a própria Khadija bem bossy rebolando coberta de ouro gritando Inshalá em “O Clone”. Fãs de “Caminho das Índias” jamais entenderão tal poder.

01) FROMIS_9 – LOVE BOMB: Essas aqui finalmente fizeram sua transição do “white aegyo sonolento” para o “aegyo creepy farofento Red velvet” que todos os grupos do tipo devem rezar diariamente para acontecer. Com isso, tiveram sua melhor faixa em todos os tempos, o melhor K-Pop de outubro e uma candidata fortíssima ao top 10 de 2018 aqui do blog.

02) REOL – BONNOU YUUGI: Numa das mais legais do álbum da Reol, temos a tosca jogando Hip Hop, dubstep, instrumentos folclóricos nipônicos e mais sei lá quantos outros elementos num liquidificador apenas porque sim. Poderia soar uma bagunça desmedida, mas diverte do início ao fim – ainda que como uma piada.

03) BLACKPINK – CRUSH: Até agora não entendi o barulho todo que fizeram no post dessa aqui, sendo que eu disse ter gostado de “Crush” como uma farofa despretensiosa. Teria dado um ótimo follow-up para As If It’s Your Last. Fãs de K-Pop atuais são muito estranhos… -q

04) BOA – LIKE IT!: A melhor album track do mais recente LP da BoA. Sei que alguns de vocês já não aguentam mais essas variações de house, visto o excesso de exposição (ainda virão outras nessa playlist), mas eu continuo adorando quando elas surgem, principalmente quando artistas com vocais tão legais quanto o da BoA executam.

05) YURI – C’EST LA VIE (THAT’S LIFE): O mesmo dito para a “Like It!” acima, com o plus de a Yuri aqui mergulhar ainda mais na boiolagem característica dos clubes ball noventistas. Deveria ter sido single. Deveria ter recebido clipe com muito brilho, fumaça e drag queens batendo leque na coreografia.

06) MONDO GROSSO, AINA THE END – FALSE SYMPATHY: Demorei um século para ouvir isso e me sinto um idiota por não o ter feito antes. Adoro as variações no instrumental, adoro a interpretação da gostosona do BiSH. O refrão é matador demais. Forte candidata a melhor J-Pop de 2018. AKB48 e Airi Suzuki que se cuidem.

07) SAYUMI MICHISHIGE – LONELINESS IN TOKYO: Dica de um de vocês para a playlist, aquela ex-Morning Musume debochada assassinando Yasutaka Nakata, Perfume e Hatsune Miku ao entregar um “future pop” tão carregado de vocoder que faria orgulho em raças alienígenas distantes.

08) M-FLO – MARS DRIVE: Falando em alienígena, o trio m-flo preparou um synthpop Disco oitentista que estaria em casa no “Discovery”, do Daft Punk. Uma pena não ter rolado um clipe de verdade nessa vibe.

09) BOA – WOMAN: Outro ótimo lead single para o maravilhoso 2018 da BoA. É o Pop/Funk Michael & Janet que eu muito adoro e que parece ser o template sonoro favorito dela. Instrumental legal, letra legal, clipe legal. Só vitória.

10) NCT 127 – REPLAY (PM 01:27): Mais uma sugestão de vocês, album track do álbum novo de um dos NCT. Como já disse algumas vezes, é fato que a SM abandonou por completo a diferença de propostas dos grupos, entendendo que agora tem mais 3 acts masculinos para distribuir as demos de acts masculinos que eles compram. Enquanto renderem números eletrônicos legais assim, não tenho do que reclamar.

11) REOL – JUCCHUUHAKKU: Se o Wednesday Campanella resolveu tirar o ano para soar mais alternativo que o devido em seus releases caseiros, Reol resolveu aproveitar esse espaço vago para soltar o deep house safadão que o trio não lançou em 2018.

12) IZ*ONE – LA VIE EN ROSE: Latin Pop não é minha praia, mas o girlgroup lá com as vencedoras do “Produce 48” debutou com um verdadeiro bop nessa linha. O drop do pós-refrão pode soar estranho num primeiro momento, mas há uma verdadeira glória sonora quando tudo e colocado junto no ouvido.

13) WEKI MEKI – TRUE VALENTINE: Quase ninguém mais vem com esses popões girly TaeTiSeo hoje em dia, então o Weki Meki ganhou pontos comigo só por recobrar uma pegada sonora tão pouco visitada, cuja taxa de acerto comumente é bem alta.

14) TK FROM LING TOSITE SIGURE – KATHARSIS: TK voltando a trabalhar com a franquia “Tokyo Ghoul”. É tudo aquilo que ele entrega de melhor, com melodias arrepiantes, uma crescente instrumental emotiva, mas uma imersão maior em elementos Pop que o usual de seu repertório.

15) E-GIRLS – PERFECT WORLD: Essa não chega a ser a melhor das oitenta e quatro músicas do E-Girls esse ano, mas faz bem as vezes de um shoujo jam bonitinho, intenso e vibrante. Ou seja, é uma faixa boa do Flower gravada pelo megazord inteiro.

16) M-FLO – PIECE OF ME: Outro synthpop 80s gostosinho do m-flo, dessa vez servindo como tema para um daqueles filmes ruins da Exile Tribe. Prato cheio para fãs de throwbacks (oie).

17) REOL – GEKIHAKU: Ainda outra do álbum da Reol, essa é uma quase balada cujo instrumental recheado de pequenas diferenças eletrônicas faz da experiência completa algo bem divertido.

18) BISH – NON TIE-UP: Tal como o feat. do Mondo Grosso lá em cima, o grupo da cantora que colaborou com ele também só chegou ao meu conhecimento recentemente. De todas as que escutei do BiSH (cujo nome é uma sigla para “Brand-new idol SHiT”, hahaha), esse single foi o que mais curti. Mistura de metal sinfônico com Pop até melhor do que os esforços recentes de nomes como BABYMETAL e LADYBABY – que ficaram de fora dessa lista, huh.

19) SHEENA RINGO, HIROJI MIYAMOTO – KEMONO YUKU HOSOMICHI: Não tem como não amar quando a Sheena Ringo está inspirada em parir essas miscelâneas de ritmos antigos (Jazz, Bossa, Mambo etc.) excessivamente exageradas em interpretação. Pra mim, é a melhor dela em tempos.

BÔNUS) DUA LIPA, BLACKPINK – KISS AND MAKE UP: Aproveitando o fim da lista para destacar duas colaborações de artistas ocidentais com acts sul-coreanos. A primeira, “Kiss and Make Up”, da Dua Lipa com o BLACKPINK. Não salva o mundo, não reinventa a roda, mas é competente dentro do gênero fitado, além de conseguir enquadrar ambos os envolvidos de maneira orgânica, visto tal música caber fácil no repertório da gostosa em UK e das quatro dedos de Lula no K-Pop.

BÔNUS) BLACK EYED PEAS, CL – DOPENESS: A segunda e última é “Dopeness”, evolução de “Superdope”, do Will.i.am com a CL, para lead single de retorno do Black Eyed Peas. Adoro tudo aqui. Tem sido a minha música favorita desses últimos dias. Uma pena a participação a vesga ser tão reduzida, mas à essa altura do campeonato, toda migalha é banquete.

E… Desse mês foi isso aí. Poucas adições realmente significativas, junto de outras fortíssimas capazes de arrancar perucas de favoritas em tops 10 aqui do blog. Mês desnivelado em muitos sentidos, é a vida.

A próxima atualização fica para a rabeira do ano, cobrindo lançamentos que ocorrerem entre amanhã e o dia 20 (?) de dezembro. Ou seja, com as últimas chances de candidatas para as melhores de 2018 aparecerem e me conquistarem de vez. Aí, depois disso, começo com as longas listas de melhores do ano que costumam ser recorde de views no blog. Ainda tem muito chão pra queimar, EXO, Daoko e Jennie já tão com teaser de comeback na praça, Loona, EXID e outros também devem vir com coisa nova, o Japão costuma ferver e fim de ano para aproveitarem o período de vendas do natal. Então, nunca é tarde para uma possível verdadeira SOTY surgir.

Anúncios

11 comentários em “PLAYLIST | Asian Pop 2018: Update de outubro

  1. Demorei pra entender a ironia em cima do Weki Meki, kkkkk! E já que você colocou lançamento de março, porque Bohyungzão não apareceu? A coitada segue ignoradíssima…

    Curtir

  2. Já viu os indicados do MAMA 2018?

    https://www.soompi.com/article/1255845wpp/2018-mama-announces-nominees-voting-begins

    Não entendi como é que as MOMOLAND ficaram de fora da categoria de Dance Performance (mas pelo menos foram indicadas a Melhor Girlgroup) considerando a coreografia quase viral de Bboom Bboom. E justo no ano em que o Apink lança uma música boa de verdade, é ignorado (mesmo com I’m So Sick tendo hitado absurdamente). Sem falar no LOONA fora da categoria de Melhor Vídeo (tá que elas só debutaram oficialmente há alguns meses, mas pô, elas são as rainhas dos MVs de altíssima qualidade…).

    Mas, por outro lado, as garotas bonitas do AOA foram lembradas, então ainda há justiça nesse mundo.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s